quarta-feira, 16 de março de 2016

Primeira casa sustentável, bio-saudável e inteligente do Brasil

Texto adaptado do Portal Correio do Estado:



Casa que segue padrão europeu é 25% mais barata,
resiste a tremores e fica pronta em 6 dias.


Capaz de resistir a tremores de 9 graus na escala Richter e a ventos de até 300 km/h, o projeto da casa é como qualquer outro. O que chama atenção é a forma como a construção é desenvolvida. Sabe a teoria de tijolo em cima de tijolo? Esqueça. Com padrão europeu, a primeira casa sustentável, bio-saudável e inteligente do Brasil foi "montada" em Campo Grande em apenas seis dias e com o uso da nanotecnologia. O empreendimento foi construído com foco em três fatores: água, ar e energia

Uma casa resistente a terremotos não chama tanta atenção no Brasil, afinal, o fenômeno é raro no país, que está localizado no centro de uma das grandes placas que compõem a superfície terrestre. O fato é que o imóvel extremamente forte também fica 25% mais barato que as casas tradicionais. Quem não gosta de uma economia?

A ideia de trazer a inovação ao Brasil surgiu com base na deficiência que o país apresenta em relação a habitação. Kleber Karru, que morou na Espanha por sete anos, conheceu o morador de lá, Eugen Fudulu, e há três anos decidiram investir no projeto. Em parceria com o laboratório europeu Open MS, que se baseia na nanotecnologia.

Os componentes da casa são feitos em uma máquina, que não desperdiça material e com apenas quatro funcionários tira o projeto do papel em menos de uma semana. É importante ressaltar que a casa fica pronta em seis dias, depois que o radier (alicerce) está pronto. O modelo também é usado para casas de luxo e até edifícios.

Montagem da estrutura

Estruturas reforçadas


 As paredes recebem isolamento térmico e acústico, com espuma e fios de vidro, por dentro e por fora. Dessa forma a casa mantém uma temperatura agradável, sendo dispensado o uso de ar condicionado. O material também é resistente a fogo, água e cupim. 


Isolamento acústico interno

Isolamento acústico externo

Camadas da parede pronta


Depois da estrutura montada pela máquina e a montagem realizada, o acabamento final pode ser feito da forma desejada, com azulejo, látex, textura ou grafiato.

Homens trabalham no acabamento interno


Revestimento com madeira


O projeto busca parceria com o Governo Estadual para que as casas de alta qualidade e baixo valor cheguem a população menos favorecida. Para os modelos de habitações populares, os sócios projetam entregar 30 casas por mês, ou seja uma casa por dia. A ação também resultaria em geração de empregos. 

"Isso poderia acontecer pois o número de pessoas trabalhando aumentaria. Com equipes de trabalho, divididas por funções, fazemos uma casa por dia. Neste caso, uma equipe faria o radier, outra montaria a estrutura e outra seria responsáveis pelo revestimento e acabamento final", diz Kleber Karru.

Com foco na água, ar e energia, Karru explica que o purificador instalado no cavalete da rua é capaz de retirar impurezas da água antes que ela chegue na torneira da residência. Assim como o aparelho de ar, que retira todas as bactérias do ambiente, e a economia evidente com a energia solar. "A casa é entregue pronta para morar de forma saudável e digna", diz.

O Portal Correio do Estado visitou a casa mais inteligente do Brasil, antes da finalização (fotos). Mas o imóvel será inaugurado e aberto ao público com jardim e móveis decorados, na próxima segunda-feira (16/03/2016), a partir das 10 horas, na Rua Vista Alegre esquina com a Inácio de Souza. A casa é apenas um modelo, já que as unidades para venda estarão disponíveis, quando a fábrica for instalada no Brasil, em abril de 2016.

Casa modelo foi montada em Campo Grande, MS



Essa novidade demonstra um ganho para a arquitetura produzida no país. Utilização de tecnologia importada, barateamento do custo da construção e eficiência energética promovem a sustentabilidade nesse novo modelo de casa, que se, realmente, for adotada como modelo de habitação popular pelo governo, pode gerar diversos benefícios para a comunidade e para nosso sistema de construção.




Fonte do texto: Portal Correio do Estado

Fonte das imagens: Portal Correio do Estado

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe:

Twitter Facebook Favoritos